Pele hidratada e bonita: 6 passos para cuidar da sua pele no calor

13/01/2020

Dicas para manter a pele hidratada e bonita.

Dicas para manter a pele hidratada e bonita em dias de calor.

Faça frio ou faça calor, conseguir manter a pele hidratada e bonita é sempre um desafio. Esse órgão incrível que reveste o nosso corpo também precisa de cuidados especiais para se manter saudável.

No calor, com algumas atitudes corretas você consegue conquistar uma pele daquele jeito que a gente adora.

6 dicas para cuidar da sua pele no calor

Seguindo essas dicas simples, todo mundo é capaz de manter a pele bonita e saudável durante o verão. 

1. Cuide da pele oleosa

Como hidratar e cuidar da beleza da pele oleosa

É um cálculo simples: mais calor = mais oleosidade na pele. O tempo quente impulsiona a atividade das glândulas sebáceas, e a produção de sebo aumenta. Assim, a pele fica mais oleosa, com aparência de brilho excessivo e sensação de sujeira.

A oleosidade tem controle, mas é preciso paciência. O primeiro grande erro é lavar o rosto demais. É assim que acontece o efeito rebote, aumentando a produção de oleosidade. O certo é encontrar um sabonete para peles oleosas, e lavar a pele no máximo 1 vez ao dia, fora do banho. 

Encontre protetores solares ideais para a sua pele, que possam hidratar enquanto mantém a pele livre de oleosidade. 

 

2. Esfoliação é importante 

A esfoliação de pele tem muitos benefícios. Por exemplo, remove o excesso de células mortas, que podem estar causando o tamponamento dos poros. Entretanto no calor, a produção de sebo é maior e com os poros tampados pela sujeira e células mortas, resultando no aparecimento de acne. 

Porém, cuidado. Não abuse na frequência da esfoliação. Uma vez na semana está ótimo. Quando realizamos com muita frequência, a pele fica ressecada, e a produção de sebo aumenta de novo. 

Ebook O Guia Definitivo de Peeling

 

3. Utilize um pós-sol

Pele hidratada com pós-sol.

Cuidar da pele antes e durante a exposição solar nós já sabemos que é importante. Mas depois de pegar um sol, a sua pele também precisa de atenção. Principalmente se não quer ficar com aquela aparência ressecada de queimadura. 

Use um pós-sol depois da exposição. É refrescante e mantém a pele hidratada. 

 

4. Tome banho gelado

Mesmo com calor, algumas pessoas ainda escolhem tomar banhos efervescentes. Você pode até gostar, mas a sua pele com certeza não gosta. 

A água quente estimula a glândula sebácea, fazendo com que a pele produza mais sebo e aumente a oleosidade, principalmente no rosto e no couro cabeludo. Além de brilho em excesso, pode causar queda de cabelo e caspa. 

Escolha a água morna ou gelada, e aproveite para refrescar e economizar luz. 

 

5. Camiseta com proteção solar

Camisa com proteção UV é interessante para manter a pele bonita.

Hoje podemos ver uma mudança visual nas praias. Alguns anos atrás, a areia era repleta de pessoas sem camiseta, apenas de biquíni ou calção de banho. Isso ainda acontece hoje, porém muitos banhistas optaram pelas camisetas com proteção UV, principalmente para crianças. 

Existe uma variedade de camisetas com proteção, com FPU de até 50, de mangas curta, comprida, para banho, entre outras.

 

6. Pele hidratada antes de dormir

Usou protetor solar? Usou o pós-sol? Ótimo. Para acabar o dia de maneira perfeita, utilize um hidratante corporal e um hidratante facial antes de dormir. Assim, você fecha com chave de ouro o cuidado com a saúde e a beleza da sua pele. 

O hidratante auxilia na recuperação da pele, evitando o ressecamento e mantendo a beleza em dia. Ao dormir, naturalmente relaxamos e recuperamos as energias. A circulação cutânea aumenta, e a pele está mais suscetível para absorver nutrientes e vitaminas. É o momento ideal para deixar o dermocosmético agindo. 

Dica extra

Prefira a sombra. É claro que você já esperava por essa, mas é sempre bom salientar. Está na praia e vai ler um livro? Escolha ficar na sombra. Vai correr ao ar livre? Procure correr pela sombra. A saúde da pele não é deteriorada de imediato, mas através do efeito cumulativo, e podemos sempre fazer mais. 

Gostou das dicas? Aproveitando o clima quente, que tal aprender um pouco sobre Tratamento Detox Corporal?

Dermocosméticos paliativos: cuidados paliativos dentro da estética

06/01/2020

Qual a relação entre os cuidados paliativos na estética.

Cuidados paliativos e dermocosméticos.

Os cuidados paliativos voltados para a estética ainda são um acontecimento recente no Brasil e pelo mundo. Mas os dermocosméticos paliativos já causaram impacto na cosmetologia e reaproximaram a estética da saúde. 

De onde vieram esses dermocosméticos?

Tudo começou quando Isabel Piatti, cosmetóloga e especialista em saúde estética, decidiu que era hora de retomar o verdadeiro motivo da estética.

Dermocosméticos para cuidados paliativos na estética humanizada

O câncer de mama é o câncer que mais mata as mulheres, e seus números aumentam a cada ano. 

Mesmo assim, o discurso do autoexame parece ficar apenas no mês de outubro. 

Em 2016, Isabel Piatti desenvolveu uma linha de dermocosméticos que busca incentivar o toque da mulher, ou seja, o autoexame diário. 

Como fazer isso? Os dermocosméticos da linha Humanizar têm o objetivo de embelezar e tonificar as mamas, evitando a flacidez. 

Desse jeito, diariamente as mulheres utilizam a linha para buscar a beleza e, por consequência, praticam o autoexame. 

Porém, Isabel enxergou uma outra necessidade dentro desse mesmo público.

 

A campanha de conscientização do autoexame me colocou de frente com várias mulheres que passaram pela experiência da doença  e relataram ser muito difícil utilizar cosméticos na pele, seja pela falta de cosméticos seguros ou mesmo pela não confiança dos médicos em indicar alguma marca. Mesmo assim, entendiam a importância de buscar os cosméticos corretos, devido às reações que os tratamentos causavam. Isso me incentivou a desenvolver uma linha especial de dermocosméticos paliativos”.

 

Todos conhecem as reações mais comuns de um tratamento oncológico: perda de cabelo e enjoos. Mas algumas pessoas passam por muito mais que isso. 

Reações dermatológicas são comuns, indo de sensibilidade até feridas que reduzem a mobilidade e provocam dor, perda de autoestima e inflamações. E com toda essa sensibilidade da pele, não é possível utilizar cosméticos comuns, despreparados ou que possam causar alergias. 

Ou seja, a Humanizar auxilia na prevenção, no momento pré-doença. Mas e quem já está em tratamento oncológico? 

Dermocosméticos paliativos

Dentro da medicina, existem os cuidados paliativos, muito relacionados à doenças crônicas, como o câncer. 

Ou seja, os cuidados paliativos são voltados para doenças que não serão resolvidas em um curto prazo. Assim, o paciente precisa conviver com ela por um tempo indeterminado. 

Os cuidados paliativos buscam levar conforto e qualidade de vida para quem precisa conviver com essas doenças. Carrega como principal objetivo a ideia de deixar a doença de lado (deixe essa parte com a medicina) e enxergar a pessoa como ela é: alguém com sentimentos, que precisa viver mesmo estando em tratamento. 

Há alguns anos, um novo caminho se formou dentro da estética, que valoriza a vida e o bem-estar do paciente. A estética paliativa, idealizada pela esteticista paliativista Vanessa Monteiro, chega para desassociar a estética da beleza primária, aquela óbvia e externa. A estética paliativa foca no bem-estar, no cuidado e nas necessidades que o paciente precisa.

Qual a diferença entre a estética paliativa e os cuidados paliativos?

Dentro da medicina, os cuidados paliativos entram quando a cura não é alcançada, e não há mais resposta do paciente ao tratamento. Ou seja, os cuidados paliativos iniciam após a cura não ser mais possível.  

E essa é a principal diferença para a estética paliativa. Nesse tempo entre o diagnóstico e a recomendação do cuidado paliativo pelo médico, pode acontecer muito sofrimento. Porém, a estética paliativa pode ser adotada desde o diagnóstico da doença, logo no começo do tratamento. Afinal, o foco é a qualidade de vida. 

Mas mesmo o profissional que atender um paciente utilizando os cuidados paliativos precisa pensar em dermocosméticos adequados para esse quadro.

Foi essa necessidade que Isabel Piatti enxergou nas pessoas que enfrentam ou já enfrentaram o câncer: dermocosméticos seguros. 

Linha Reviver

Desenvolveu então a linha Reviver, com dermocosméticos paliativos, que carregam 4 pontos principais.

Sem perfume: o perfume, ou fragrância, pode parecer muito gostoso para a maioria das pessoas. O que as marcas deixam de enxergar é que uma pessoa em tratamento oncológico sente enjoos com muita facilidade. 

Desse jeito, o perfume deixa de ser gostoso e passa a ser um problema. 

Sem corantes: o corante tem apenas um objetivo, que é deixar o produto mais atraente aos olhos. Só que muitos corantes são alergênicos, ou seja, possuem grande chance de produzir reações alérgicas na pele, muitas vezes até em peles saudáveis. 

Tecnologia exclusiva: todos os dermocosméticos paliativos possuem os mesmos objetivos, ideais para a pele sensibilizada de quem faz tratamento oncológico. Os objetivos são hidratar, dessensibilizar, nutrir e reparar. Isso só é possível com a tecnologia HDNR System

100% vegano: o objetivo de Isabel sempre foi desenvolver uma linha inclusiva, que todos possam usufruir. Por isso, os dermocosméticos paliativos são sem corantes, sem fragrância e também sem nenhum conteúdo de origem animal. 

A linha Reviver foi lançada em 2018, focando principalmente no público home care. Hoje, os dermocosméticos paliativos profissionais complementam a coleção.

Que tal conhecer um pouco mais sobre os dermocosméticos paliativos? 

Dermocosméticos paliativos, da linha Reviver.

Dermocosméticos para cuidados paliativos.

.

Estética paliativa e humanizada

Os cuidados paliativos dentro da estética ainda são uma área nova e com muito a ser explorado. Para que todos possam ter acesso a conteúdo científico sobre essa área, Isabel Piatti e Vanessa Monteiro uniram forças e todo seu conhecimento em um livro para esclarecer qualquer dúvida sobre o tema. 

Estética Paliativa e Humanizada traz conteúdo sobre a relação entre doenças crônicas, cuidados paliativos e cosmetologia

É um livro científico ao mesmo tempo em que é sensível. Carrega os conceitos e ideias sobre cuidados paliativos dentro da estética, doenças crônicas, cosmetologia, hipnose, nutrição e outros conceitos relacionados à estética paliativa e estética humanizada. 

Quero conhecer o livro Estética Paliativa e Humanizada. 

Esse texto foi útil para você? Confira também Cuidados paliativos na estética: tudo o que você precisa saber.

Dermocosmético ou cosmético: entenda a diferença de uma vez por todas.

16/12/2019

Qual a diferença entre dermocosméticos e cosméticos?

Afinal, qual é a diferença entre cosméticos e dermocosméticos?

Será que aquele creme que você usa todos os dias para hidratar a pele é um cosmético? Ou um dermocosmético? Afinal, qual é a diferença de um para o outro mesmo?

Essa discussão está longe de ser novidade, e já está na hora de você saber o que é um cosmético e o que é um dermocosmético.

Entenda agora a diferença de cada um. 

 

O que é um cosmético?

 

O que é um cosmético?

O que define um cosmético?                                                                                                                                                           

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Afinal de contas, o cosmético está sempre relacionado a beleza? Não necessariamente. Por exemplo, a pasta de dente também é considerada um cosmético. Ou seja, cosméticos podem estar relacionados também com a higiene pessoal. Então, como podemos definir?

Um cosmético age nas primeiras camadas da pele, causando mudanças temporárias, como uma breve limpeza ou uma maquiagem. 

Ou seja, quando usamos maquiagem, sabemos que vamos remover antes de dormir e a nossa pele estará como antes. 

Cosméticos estão presentes na vida da maioria das pessoas, e usamos muitos deles durante o dia a dia. Faça a conta, quantos você usou hoje?

Pasta de dente, shampoo, condicionador, maquiagens, creme para cabelo, sabonete, perfume, antisséptico bucal, esmalte e outros.

Esses tipos de cosméticos são classificados pela ANVISA como grau 1.

 

O que é um dermocosmético?

 

Dermocosméticos e suas características.

Entenda os dermocosméticos e suas características.

Classificado pela ANVISA como grau 2, o que diferencia o dermocosmético do cosmético são principalmente os ativos farmacológico.

O dermocosmético é principalmente indicado para tratamento da pele, mas podem ser encontrados ativos para tratamento da gordura localizada, celulite, estrias, dermatites, acne inflamada, entre outras alterações inestéticas. 

Alguns dos ativos farmacológicos mais encontrados em dermocosméticos são ácido hialurônico, vitamina C, trietanolamina, nicotinato de metila, ácido salicílico e outros

Aposto que você conhece alguns dos ativos citados. 

Diferente do cosmético, para que um dermocosmético seja liberado para consumo, é necessário a realização de pesquisas e testes de eficácia com comprovação científica. 

Para aprimorar ainda mais a efetividade dos ativos, alguns aprimoramentos tecnológicos podem ser feitos. Um exemplo é utilizar a nanotecnologia, que permite uma maior absorção de ativos pela pele e, por consequência, eleva a efetividade do tratamento. 

Outra característica marcante do dermocosmético é a sua associação com equipamentos de saúde estética. 

Alguns dos equipamentos mais associados com dermocosméticos são de eletrolipólise, iontoforese, alta frequência (após a aplicação do aparelho), radiofrequência e ultrassom.  

 

Por que a Buona Vita tem dermocosméticos científicos?

 

Um dermocosmético já necessita de comprovação científica, então por que a Buona Vita possui dermocosméticos científicos?

A Buona Vita possui um centro de estudos próprio, o CIA, localizado em Curitiba. 

É nesse centro de estudos que são realizados as pesquisas, tratamentos, estudos e atendimentos. Todas as informações captadas durantes estes procedimentos são armazenadas em um banco de dados, e serão utilizadas para o desenvolvimento de novos dermocosméticos e para buscar novas soluções para a saúde estética. 

Todos os dermocosméticos da Buona Vita passam pelo CIA, onde participam de estudos científicos e testes. Assim, cada produto da Buona Vita tem a ciência como principal alicerce.

Esse texto ajudou a acabar com a sua dúvida? Agora, que tal entender um pouco mais sobre bases verdes biocompatíveis?