Tratamentos com base em genética e epigenética

08/10/2015

Women of Different Generations Standing Together --- Image by © Ariel Skelley/Corbis

Você com certeza já ouviu falar em tratamentos e avaliação personalizada, certo?

A diversidade de biotipos no Brasil é enorme, os clientes que procuram tratamentos estéticos são de todas as etnias e culturas, com diferentes necessidades e diferentes expectativas. Sabendo disso fica claro que protocolos padronizados vão contra a tendência crescente de personalização dos atendimentos, onde a prestação do serviço estético leva em consideração o objetivo do cliente, seus hábitos de vida, sua história, seu biotipo e suas necessidades.

Com o aprimoramento e avanço dos estudos na estética e cosmetologia, um novo conceito científico foi trazido à tona para uma avaliação precisa: o de genética aliado à epigenética. O ser humano possui uma codificação genética que constitui o seu genótipo, influenciando o biotipo constitucional corpóreo. Porém, isto não é determinante, visto que é modificável pela influência ambiental. Esta modulação gênica resulta no fenótipo do indivíduo, sendo essa a influência epigenética.

Resumindo, o ser humano é o resultado da interação entre a sua herança genética e o ambiente, por seus hábitos e estilo de vida. Há características que dependem unicamente da herança genética, como a cor do cabelo, a altura ou o grupo sanguíneo, que são transferidas para as próximas gerações. E há características desenvolvidas ao longo da vida como resposta da interação do ser humano com o meio, isto é, as escolhas cotidianas, os hábitos, o nível de estresse de uma pessoa podem gerar modificações na forma de expressão de determinados genes e essas modificações também podem ser passadas para até as duas próximas gerações.

Este é o contexto da genética e da epigenética, assim fica claro que todos somos fruto do que nossos pais e avós foram e fizeram, a isso somam-se os nossos próprios hábitos e isso nos torna seres únicos. A genética associada aos nossos hábitos, pode ser beneficiada ou prejudicada, só depende da própria pessoa. Por exemplo, talvez ela traga em seu código genético um gene que a beneficie e seja alguém que não tenha pré-disposição para engordar, porém sua alimentação não é favorável e assim, através de seus hábitos alimentares, ela engorda. O mesmo ocorre quando se tem um gene pré-disponente para engordar, porém se tem uma boa alimentação e não engorda. O mesmo acontece com a pré-disposição ao envelhecimento. E assim para muitas alterações inestéticas.

Com isso é importante reforçar o que há de mais tecnológico e inovador no mercado para os tratamentos estéticos: produtos embasados não somente na epigenética, mas também na genética, ou seja, direcionados a ação de genes ligados diretamente às alterações inestéticas, que é o que existe de mais atual na cosmetologia.

Para isso é fundamental que sejam produtos com ativos em alta concentração, vetorizados e sem adição de água, no caso dos séruns por exemplo, dessa forma trazem resultados muito mais eficazes, sinônimo de satisfação garantida para o cliente que chega a seu objetivo mais rápido e para o profissional, que mostra estar antenado e comprometido com a qualidade de seu trabalho.

Assim, após preencher o prontuário estética e de posse do relatório, a possibilidade de personalização do tratamento com esse tipo de produto permite que o profissional de saúde estética componha ele mesmo na hora do atendimento o cosmético que vai utilizar no protocolo que irá tratar aquela síndrome alvo específica. Não é o máximo? Você adquire um kit de produtos, e atende de maneira personalizada cada cliente conforme suas necessidades, manipulando você mesmo o produto de maneira adequada para aquele caso. Ciência, tecnologia e modernidade onde quer que você esteja.

E como você vai conseguir isso? Acesse para Tratamento Corporal e Tratamento Facial