SDC – Síndrome da Desarmonia Corporal

13/10/2015

mulheres-epigenetica6

A diversidade de biotipos no Brasil é enorme e os clientes que procuram tratamentos estéticos têm diferentes necessidades e expectativas. É por isso que falamos tanto em atendimento personalizado. Levando em conta aspectos genéticos e epigenéticos, é possível uma avaliação precisa nos casos da Síndrome da Desarmonia Corporal (SDC), que compreende cinco principais alterações estéticas corporais (gordura localizada, flacidez, estria, celulite e edema).

O ser humano possui uma codificação genética que constitui o seu genótipo e que influencia seu biotipo corpóreo. Porém, isto não é determinante, visto que é modificável pela influência ambiental. Resumindo, o ser humano é o resultado da interação entre a sua herança genética e o ambiente, por seus hábitos e estilo de vida (epigenética). Há características que dependem da herança genética, como a cor do cabelo, a altura ou o grupo sanguíneo e há aquelas que são desenvolvidas ao longo da vida, que compreende as escolhas cotidianas, os hábitos e o nível de estresse. Esses fatores podem gerar modificações na forma de expressão de determinados genes que podem ainda ser passadas para até duas gerações.

A genética, associada aos nossos hábitos, pode ser beneficiada ou prejudicada. Por exemplo, se a pessoa traz em seu código genético um gene que a beneficie não tendo pré-disposição para engordar, porém sua alimentação não é favorável, através de seus hábitos alimentares, ela engorda. O mesmo ocorre quando se tem um gene pré-disponente para engordar, porém com uma boa alimentação, não engorda.

Tratamento
Para ser completo, o tratamento deve abranger todas as alterações focadas pela SDC, compreendendo todas as etapas do processo de lipólise, bem como o aumento da microcirculação tecidual e redução de acúmulo de líquido local, afinal, essas alterações inestéticas são causadas por desordens fisiológicas que precisam ser controladas e corrigidas para que os tratamentos estéticos tenham a eficácia desejada.

Com isso é importante reforçar o que há de mais tecnológico e inovador no mercado para os tratamentos estéticos: produtos embasados não somente na epigenética, mas também na genética, ou seja, direcionados à ação de genes ligados diretamente às alterações inestéticas, sendo o que existe de mais atual na cosmetologia. Um exemplo é a Linha Alchemy Body.

Alchemy Body

Nesse tipo de tratamento é fundamental que sejam produtos com ativos em alta concentração, vetorizados e sem adição de água, no caso dos séruns por exemplo, dessa forma trazem resultados muito mais eficazes, sinônimo de satisfação garantida para o cliente que chega a seu objetivo mais rápido e para o profissional, que mostra estar antenado e comprometido com a qualidade de seu trabalho.

Dessa forma, após preencher o prontuário e de posse do relatório, a possibilidade de personalização do tratamento com esse tipo de produto permite que o profissional de saúde estética componha ele mesmo na hora do atendimento o cosmético que vai utilizar no protocolo. E você, já experimentou essa novidade em seus clientes?