Xenobióticos: Toxidade X Resultados estéticos

12/02/2016

xenobióticos

assinatura-by-isabel

xenobioticos03

Olá caros amigos profissionais da Saúde Estética. Você já ouviu falar em xenobióticos e na relação que eles têm com a saúde e as alterações inestéticas que tanto incomodam os clientes que nos procuram para os tratamentos estéticos? Com certeza este assunto está muito mais presente no seu dia a dia do que possa imaginar. Para aqueles que não estão familiarizados com este termo, trouxemos uma entrevista super bacana com a nutricionista Luisa Wolpe para explicar um pouco mais sobre o tema e esclarecer qual a interferência que essas substâncias podem ter na estética, tanto nos resultados dos tratamentos quanto no aparecimento de uma alteração.

Isabel Piatti – O que são xenobióticos?
Luisa Wolpe
A palavra xenobiótico deriva do grego “xeno = estranho” e “bio = vida”, dessa forma são considerados xenobióticos todas as substâncias consideradas “estranhas à vida”, ou seja, ao organismo, e que apresentam algum malefício, como toxidade. Geralmente são substâncias químicas, advindas do ambiente externo, porém substâncias orgânicas também podem ser consideradas xenobióticos se estiverem em quantidade excessiva no corpo, tornando-se prejudiciais.

xenobioticos04Isabel Piatti – Onde podemos encontrar essas substâncias, os xenobióticos?
Luisa Wolpe
As formas com que os xenobióticos se apresentam em nosso dia a dia são as mais diversas possíveis. Agentes poluentes do meio ambiente, que atingem o ar, água, solo e alimentos, por exemplo, como pesticidas e agrotóxicos, são considerados xenobióticos. Radiações, como o raio-X ou mesmo os raios solares, e aditivos alimentares, também. Medicamentos, hormônios sintéticos, corantes, conservantes e até matéria-prima presente em embalagens podem apresentar essa característica de toxidade ao organismo. Um exemplo que tem sido muito comentado atualmente é o caso do BPA, ou Bisfenol A, como também é conhecido, um tipo de substância presente em embalagens plásticas que pode ter suas propriedades tóxicas “transferidas” do frasco para o material que está sendo armazenado nele. Mas também os ftalatos, parabenos, entre outros.

xenobioticos02 Isabel Piatti – O que a exposição aos xenobióticos pode causar ao organismo?
Luisa Wolpe
Estudos mostram que a exposição aos diferentes tipos de toxidade promovida pelos agentes xenobióticos vão desde desregulação endócrina – e todas as consequências advindas desse tipo de alteração, aumento no risco de obesidade, hipertensão e câncer, entre outras patologias. Nas mulheres grávidas, por exemplo, a exposição a desreguladores endócrinos pode causar modificações epigenéticas nas próximas duas gerações.

Isabel Piatti – Com relação aos cosméticos, o que deve ser evitado por ser considerado xenobiótico?
Luisa Wolpe
Deve ser evitado o uso de cosméticos que contenham em sua formulação compostos como o óleo mineral, parabenos, propilenoglicol e conservantes liberadores de formol, bem como os produtos que utilizem embalagens produzidas a base de componentes como o Bisfenol A.xenobioticos-cosmeticos-buona-vita

Isabel Piatti – O que essas substâncias presentes nos cosméticos podem provocar?
Luisa Wolpe
Estudos mostram que cosméticos contendo óleo mineral podem contribuir para a artrite reumatoide principalmente em indivíduos que possuem genótipos específicos que levam à predisposição e nos que são expostos simultaneamente a outros agentes ambientais que induzem artrite reumatoide. Quanto aos parabenos, em uma análise com 8 produtos cosméticos contendo essa substância, 6 apresentaram atividade estrogênica, ou seja, se comporta no organismo como se fosse o próprio estrogênio, que está ligado a problemas hormonais que podem levar a alterações no ciclo menstrual, fertilidade, nos ovários, início da puberdade, cânceres de origem hormonal e ainda interferir no desenvolvimento de alterações inestéticas como manchas (hipercromias), celulite e acne. Já o propilenoglicol altera a camada de proteção da barreira cutânea, criando falhas em sua permeabilidade, o que faz com que outros agentes químicos possam penetrar mais profundamente na pele, aumentando a toxidade pela maior quantidade que chega na corrente sanguínea. Com isso as exposições contínuas ao propilenoglicol aumentam as chances de sensibilização e ocorrência de dermatites. Os liberadores de formol, por ainda conterem resíduos de formaldeído livre, são agentes potencializadores de causar alergia de contato e sensibilização.

Isabel Piatti – Como o consumidor pode identificar se o seu produto cosmético contém substâncias consideradas xenobióticos?
Luisa Wolpe
O consumidor deve sempre verificar no rótulo do produto quais são os ingredientes presentes na composição e se ele realmente é livre dessas substâncias nocivas citadas na pergunta anterior. Em caso de dúvida, tanto sobre os ingredientes quanto sobre a matéria-prima da embalagem, por exemplo, o indicado é sempre entrar em contato com a empresa. Transparência acima de tudo, prezando pela saúde e bem-estar dos consumidores.

isabel-piatti-03 Isabel Piatti – Profissional Aisthesis. Técnica em Estética. Graduada em Tecnologia de Estética e Imagem Pessoal. Especialista em Cosmetologia. Especialização em Escolas de Estética e Terapias Alternativas na Europa, na área Facial, Corporal e Bem-Estar. Palestrante no VI Congresso Mundial de Medicina Estética da IAAM/ASIME, 2009, em São Paulo. Palestrante no 8° Congresso Internacional de Medicina Estética e Cirurgia Cosmética em Guaiaquil, Equador, em 2011. Palestrante em Congressos de Estética e Cosmetologia pelo Brasil. Diretora de Treinamentos da Buona Vita Cosméticos. Coordenadora do Departamento de P&D da Buona Vita Cosméticos. Consultora técnica de revistas e sites da área de Beleza e Estética. Autora do Livro ‘Biossegurança Estética & Imagem Pessoal – Formalização do Estabelecimento, Exigências da Vigilância Sanitária em Biossegurança’ e   ‘Gestantes: Cuidados Estéticos Durante a Gravidez’. isabel@buonavita.com.br