Termoterapia – calor para aquecer os tratamentos no inverno

21/06/2016

temperaturaJá estamos oficialmente no inverno, a estação mais gelada do ano e, em algumas regiões, o frio já deu as caras para valer mesmo. Nós sabemos que com isso o movimento cai um pouco para alguns profissionais de saúde estética. Além de oferecer um ambiente mais climatizado e aconchegante em termos de aquecimento da sala e até da própria maca, para conforto do cliente, nos tratamentos corporais há um procedimento que cai muito bem para o inverno: a termoterapia, sendo ideal para reduzir medidas e combater a celulite, terror até de quem está mais em forma, mas aparentando os “furinhos” que tanto incomodam.

Com a aplicação de procedimentos estéticos embasados no calor ou em ativos tidos como termogênicos, o inverno, bem como os períodos de temperaturas mais baixas, pode sim ser a época ideal para manter a forma (desde que se saiba maneirar na ingestão de guloseimas e comidas calóricas, é claro).

termoterapiaA termoterapia – terapia realizada através do calor – promete ser uma excelente aliada dos profissionais de saúde estética e também dos clientes, tanto pela ação e resultados proporcionados, quanto por ser mais atrativa e ter melhor aceitabilidade durante essa estação do ano. Ela envolve basicamente a aplicação de qualquer substância ao organismo que desencadeia o aumento da temperatura local dos tecidos corporais, seja através de equipamentos próprios ou manipulação de cosméticos, por exemplo.

temperatura corporalAo provocar o aumento de temperatura no corpo, é desencadeado um mecanismo de termorregulação que, por sua vez, vai acelerar o metabolismo basal, resultando na queima de calorias. Por isso os tratamentos que têm como coadjuvante a termoterapia representam um estímulo a mais para o cliente dar continuidade aos cuidados com a estética durante o inverno, sendo indicados principalmente para celulite, redução de gordura e modelagem corporal.

Na aplicação dos tratamentos de termoterapia, os cosméticos estão entre os recursos mais utilizados, exercendo papel de fonte externa de calor, do tipo superficial, ou seja, uma forma de aumentar a temperatura diretamente na superfície aplicada. Já o uso de aparelhos como ultrassom e radiofrequência fazem o organismo produzir o calor, sendo denominado de calor profundo.

Conheça alguns ativos:

Nicotinato de Metila – Provoca efeito hiperemiante e por isso é utilizado como auxiliar em procedimentos estéticos de gordura e celulite, para que, com o metabolismo ativado, haja também aceleração dos resultados pela melhor penetração dos princípios ativos.

Sense Hot – proporciona sensação de aquecimento à pele, semelhante ao do Nicotinato de Metil, mas sem causar hiperemia.

Nano 3C – Blend de óleos termogêncios e lipolíticos que auxiliam no tratamento da celulite.

– Óleo de cártamo: rico em ômegas 3, 6 e 9, tem ação antioxidante, induz a produção de adiponectina, reduzindo a inflamação e estimulando reações metabólicas transformando gordura corporal armazenada em energia.
– Óleo de coco: Rico em Vitamina E, e ácido gálico, exerce função termo gênica, capaz de reduzir medidas na região abdominal.

– Óleo de cravo: tem ação antioxidante e anti-inflamatória, melhora a circulação sanguínea e acelera o metabolismo.

Cafeisilane C (cafeína Biovetorizada) – Promove ação lipolítica – degradação de lipídios em ácidos graxos e glicerol – pela estimulação do composto AMPc (Adenosina Monofosfato Cíclico ou Monofosfato de Adenosina Cíclico) e inibição do processo de fosfodiesterase, atuando diretamente nas células que armazenam gordura. Além disso, atua na regeneração do tecido conjuntivo, contribuindo para a firmeza e tonicidade da pele.

Cafeína – Xantina que reativa o mecanismo celular, inibindo a fosfodiesterase, aumentando a atividade lipolítica.

Extrato de café verde – Contém cafeína e teobromina, duplo conteúdo de xantinas. Juntas, vão estimular a lipólise e o metabolismo da gordura, inibindo sua absorção e acúmulo pelas células.

L-Carnitina – Conduz os ácidos graxos até as mitocôndrias (unidades de energia), para que sejam metabolizados e transformados em energia a ser utilizada pelo organismo.

Asiaticoside – Saponina isolada da centella asiática, tem a finalidade de combater a celulite devido à sua capacidade de reestruturar as fibras de colágeno e de ativar a circulação local, resultando em eliminação de gordura.

Pheoslim – Agente lipolítico altamente eficaz, principalmente para homens e mulheres com mais de 40 anos, visto que, com o aumento da idade, há também a necessidade de se utilizar liporredutores mais potentes.

Complexo AD (hedera helix, extrato de bile e ácido tartárico) – Antilipêmico, tem por finalidade reduzir a concentração de gorduras no sangue, além da ação lipolítica.

Bioex Antilipêmico (composto por arnica, castanha-da-índia, centella asiática, cavalinha, fucus, hera e erva mate) – Atua como estimulante metabólico, ativador da microcirculação, antilipêmico, promovendo efeito adelgaçante e anticelulítico.

Fosfatidilcolina – Ação lipolítica, provoca a solvatação dos triglicerídeos, transformando-os em glicerol e ácido graxo 100% insaturado.

Extrato de cravo-da-índia e extrato de gengibre – Funcionam como estimulantes cutâneos e ativadores da microcirculação.

Sais térmicos – São sais enzimáticos, ricos em magnésio, que potencializam os resultados estéticos no combate à gordura e celulite. Em bandagens quentes agem pelo processo osmótico possibilitando a absorção dos sais diluídos em água morna e posterior eliminação dos líquidos dos adipócitos.

Argilas enriquecidas (possuem base comum e têm sua função potencializada quando enriquecidas, por exemplo, por silicato de alumínio, pectina ou ovo atomizado) – Nutrem os tecidos com os respectivos sais minerais necessários, favorecem a reprodução celular integral, ação tensora, melhora a circulação sanguínea periférica, atua como desintoxicante promovendo efeito depurativo dos tecidos por absorção (destóxi), resultando na redução de medidas.

Este material é de autoria de Buona Vita e está protegido sob a Lei de Direitos autorais. A sua reprodução total ou parcial é permitida, desde que na sua forma original sem qualquer tipo de adulteração ou alteração, sendo obrigatório a citação do nome do autor, sua obra e fonte de veiculação. O descumprimento destas condições ensejará ao infrator as penalidades cíveis e criminais cabíveis.