Regulamentação dos serviços de beleza, precisamos falar disso!

25/10/2016

bio2Todos os profissionais da saúde estética sabem da importância de manter um padrão de higiene no local de trabalho, e dos cuidados que precisam ter com os equipamentos que utilizam, correto?

Mas, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), está preparando uma regulamentação para unificar medidas de higiene em salões de beleza, clínicas de estética e SPA’s. Sabe por quê?

Somente no primeiro semestre de 2016, a agência recebeu mais de 400 reclamações, sendo que 57% delas (232 denúncias), foram feitas contra serviços de estética e bem-estar. As principais queixas são devido à falta de higiene, reutilização de materiais descartáveis e a utilização de produtos proibidos, como o formol.

E você profissional da beleza, já parou para se perguntar sobre a necessidade de uma regulamentação nacional sobre biossegurança?

bioA biossegurança diz respeito às boas práticas que visam garantir a integridade dos clientes e também dos profissionais, reduzindo riscos de contaminações por micro-organismos e seus danos para a saúde (Saiba mais  sobre biossegurança na estética aqui).

Os consumidores estão cada vez mais exigentes e com razão, pois os tratamentos de beleza interferem na saúde física e psicológica, e não podem ser feitos sem os cuidados necessários.

Por exemplo, todos sabemos que os alicates de unha precisam ser esterilizados, pois seu uso indevido pode causar a transmissão de doenças. As agulhas e rollers (equipamento de microagulhamento) também são descartáveis e não podem ser reaproveitadas, assim como lixas de unha, cera de depilação, películas de criolipólise, luvas, máscaras e qualquer descartável.

Reutilizar esses materiais ou não fazer a devida higiene, pode parecer uma forma de economia, no entanto, tal ato pode gerar muitos problemas tanto para os profissionais, quanto para as clínicas e salões de beleza e principalmente para os clientes, pois estes ficam vulneráveis a dermatoses, como micose, e outras doenças infectocontagiantes graves, como a AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) e as hepatites A, B e C.

Por isso, profissional da beleza, lembre-se que o boca-a-boca é a arma mais poderosa da publicidade, e se seu cliente não ficar contente com o seu atendimento, com certeza vai comentar com amigos e parentes, além de não indicar seu trabalho. As redes sociais, como o facebook, também estão sendo usadas como ferramentas para fazer reclamações e denúncias de forma pública, e sabemos bem da força que elas têm.

A nossa dica é: sempre siga as medidas de higiene, e procure realizar os procedimentos de forma correta, utilizando-se de todos os recursos da biossegurança. Trabalhando de forma consciente você evita problemas e fideliza clientes satisfeitos, que vão recomendar seus serviços.

Fonte/referência: Jornal Hoje 

Confira dicas de biossegurança extraídas do livro “Biossegurança: Estética e Imagem Pessoal”, de autoria de tecnóloga em estética Isabel Piatti.

bio_maos– Tenha cuidado com a assepsia das mãos e dos objetos utilizados no procedimento estético; apare e limpe bem as unhas e não utilize nenhum adoro nas mãos durante os atendimentos;

– O local de trabalho deve ser limpo, organizado, arejado e climatizado; todos os equipamentos estéticos precisam ter registro no Ministério da Saúde;

–  Sempre utilize o jaleco ou avental, de manga longa e sapatos fechados na hora do procedimento estético, junto com as luvas, touca e a máscara, e em alguns casos os óculos, pois eles protegem o profissional de ter contato com secreções, como pus, sangue e saliva;

– Utilize lixeira com tampa e pedal, para evitar contato com bactérias; todos os resíduos deverão ser acondicionados em sacos plásticos com simbologia da substância infectante para lixo especial, ou em sacos sem simbologia para lixo comum;

bio_descarte– Mantenha materiais perfuro-cortantes, como agulhas e lâminas, separados do lixo convencional; tenha, no estabelecimento, um local apropriado para armazenar o lixo produzido até a coleta;

-Sempre faça a troca da roupa de cama, que devem ser esterilizadas; faça a limpeza das macas e cadeiras com álcool 70% a cada cliente, ou use protetores descartáveis;

-Tenha uma autoclave ou estufa com termômetro, e use-a sempre.

Saiba mais sobre Procedimento Operacional Padrão em biossegurança aqui 

Adquira o livro “Biossegurança: Estética e Imagem Pessoal” aqui