Dicas especiais para ficar bela e segura durante a gestação

12/10/2017

A gestação é um dos períodos mais emocionantes e especiais da vida de uma mulher. Porém, junto com toda a mudança fisiológica decorrente da gravidez, surgem alterações inestéticas bastante comuns nessa fase, como as estrias, celulite (FEG), edemas, melasmas, acne, entre outras.

É normal que a futura mamãe também se preocupe em manter a beleza em dia. Mas, para cuidar de si mesma e do bebê, deve sempre optar por produtos cosméticos que não apresentem compostos considerados prejudiciais e que podem acarretar em prejuízos para o desenvolvimento do feto.

Primeiramente, vale ressaltar a importância de se evitar cosméticos e produtos de higiene e beleza com xenobióticos, como parabenos, propilenoglicol, liberadores de formol, triclosan, óleo mineral e derivados de petróleo, entre outros.

Esses compostos químicos são bastante polêmicos e existem diversos estudos realizados em universidades renomadas que sugerem que essas substâncias são disruptores endócrinos, muitos são alérgenos e outros potencialmente cancerígenos.

Confira algumas reportagens sobre esses estudos aqui: “Da diabetes ao câncer: quais são os itens do dia a dia que alteram seus hormônios silenciosamente” e “Sabonete líquido pode prejudicar a saúde”.

https://g1.globo.com/bemestar/noticia/da-diabetes-ao-cancer-quais-sao-os-itens-do-dia-a-dia-que-alteram-seus-hormonios-silenciosamente.ghtml

https://super.abril.com.br/blog/cienciamaluca/sabonete-liquido-pode-prejudicar-a-saude/

Porém, alguns ativos que têm comprovada eficácia e que são bastante utilizados nos cosméticos também devem ser evitados pelas gestantes. Conheça alguns deles:

Hidroquinona – é utilizada em cremes clareadores e tem alta absorção sistêmica (que pode atingir o sangue), cerca de 35%, podendo ocasionar má formação do bebê. Não deve ser utilizada por gestantes.

Ureia – pode ultrapassar a placenta, prejudicando a formação e crescimento do feto. Mulheres grávidas podem usar cosméticos com este ativo, mas somente em concentração máxima de 3%. A Anvisa determina que produtos com ureia em concentração acima de 3% tenham a inscrição: “Não utilizar durante a gravidez”. Por isso é necessário prestar atenção aos rótulos.

Cânfora – pode ser tóxica e causar defeitos no feto e até mesmo abortos. Não utilize produtos com concentração que exceda 0,15%.

Retinoides tópicos (ácido retinóico, retinol, adapaleno e retinaldeido) – Para o uso durante a gravidez, deve-se consultar um médico e ter sua liberação. Os retinoides orais (Isotretinoína e Roacutan) são totalmente contraindicados pois podem causar uma série de más-formações no feto. Porém, os de uso tópico são de pouca absorção sistêmica, mas mesmo assim é importante ter a liberação do médico.

Ainda alguns outros tratamentos estéticos devem ser evitados pelas grávidas, como aplicação de toxina botulínica, tratamentos com laser, corrente russa, ultrassom, eletrolipólise, radiofrequência, microcorrente, alta frequência, endermologia, intradermoterapia, carboxiterapia, alguns peelings (devido ao tipo de ácido), maquiagem definitiva, e outros.

Fontes:
https://www.vix.com/pt/bdm/bebe/produtos-proibidos-para-gravidas-6-principios-ativos-para-abolir
https://claudia.abril.com.br/beleza/conheca-os-produtos-de-beleza-que-gravidas-devem-evitar/#
http://idaduarte.com.br/page_38.html
http://www.blogdamaecoruja.com.br/cosmeticos-o-que-posso-ou-nao-usar-na-gestacao/
http://www.pediatradofuturo.com.br/cosmeticos-e-beleza-durante-a-gravidez/
https://estilo.uol.com.br/noticias/redacao/2012/07/10/saiba-quais-tratamentos-e-produtos-de-beleza-sao-permitidos-para-gestantes.htm

Este material é de autoria de Buona Vita e está protegido sob a Lei de Direitos autorais. A sua reprodução total ou parcial é permitida, desde que na sua forma original sem qualquer tipo de adulteração ou alteração, sendo obrigatório a citação do nome do autor, sua obra e fonte de veiculação. O descumprimento destas condições ensejará ao infrator as penalidades cíveis e criminais cabíveis.