Estética paliativa para profissionais.

08/04/2019

Atendimento de estética paliativa.

A estética paliativa está conquistando o seu espaço.

Não é de hoje que a área da saúde estética se aproxima cada vez mais do bem-estar e da qualidade de vida. E também é assim com a estética paliativa. Este novo ramo da estética associa a autoestima aos cuidados paliativos para buscar melhorar a qualidade de vida de pacientes que estão passando por doenças ou tratamentos agressivos. Entenda mais.

O que é paliar?

Se pesquisar no dicionário o verbo “paliar”, é possível que você encontre definições como: tornar menos intenso, encobrir, amenizar, atenuar ou aliviar provisoriamente. Já seu para entender um pouco sobre o que é paliar, não é?

A esteticista paliativista Vanessa Menezes Monteiro fala sobre a origem da palavra. “Paliativo tem origem na palavra pallium que significa manto, cobertor que os cavalheiros usavam para se proteger das tempestades e frio. Paliar nada mais é que proteger esse paciente das tempestades e frio durante um tratamento que ameace a continuidade da sua vida. Ou seja, cuidar dos efeitos colaterais, dores, aflições ou medos”.

Os cuidados paliativos já existem há algum tempo na medicina. Costumam ser aplicados em pacientes que estão passando por tratamentos que causam efeitos colaterais fortes, como no caso de quimioterapia e radioterapia. Também são aplicados em pacientes de doenças terminais, sempre com o objetivo de melhorar a qualidade de vida.

Cuidados paliativos já são aplicados na medicina há algum tempo.

Na medicina, os cuidados paliativos não são novidade.

Os cuidados paliativos são considerados em caso de doenças que ameacem a vida, como o câncer. A ideia aqui é cuidar, e não curar. O profissional oferece uma nova visão ao paciente, onde encara a morte como parte do ciclo natural da vida, e toda a atenção fica voltada para a vida que ainda pode ser aproveitada. Em conjunto com esta visão, encaixam-se cuidados assistenciais para alívio do sofrimento.

Conheça alguns pilares dos cuidados paliativos.

Proporcionar o alívio da dor.

A dor pode ser um fator da doença ou o efeito colateral de um tratamento. Aqui, isso não importa. A grande questão é que, mesmo que seja um caso terminal, uma pessoa está sofrendo. Os cuidados paliativos entram como um suavizante, reduzindo a dor e melhorando o dia a dia.

A morte é um processo natural.

Aqui, o cuidado paliativo toca na única certeza da vida: a morte. Portanto, não devemos temê-la, faz parte do processo natural de todos os seres. O paliativismo não visa acelerar ou adiar a morte. Apenas aceitar ela e focar no hoje, na vida.

Viver ativamente.

A ideia do paliativismo é trazer de volta a vida ativa do paciente. Com dores e sensibilidade, as pessoas podem sofrer para realizar a mais simples das tarefas domésticas, como vestir uma peça de roupa. O ideal é que o paciente volte a praticar atividades prazerosas, como exercícios, leituras, passeios ao ar livre. O número e tipos de atividades deverá acontecer de acordo com a vontade e possibilidade do paciente.

Por que a estética paliativa é importante?

A estética paliativa auxilia a acalmar os danos colaterais dos tratamentos oncológicos. A estética paliativa auxilia a conter os danos colaterais dos tratamentos oncológicos.

A estética paliativa melhora o dia a dia de pessoas em tratamentos agressivos.

Vanessa fala um pouco sobre a função da estética paliativa. “É acolher esse paciente em todo esse âmbito, proporcionando inúmeros benefícios como paz, relaxamento, acolhimento, promoção da autoestima e papoterapia. Ainda promover a diminuição da dor muscular, fadiga e crise de dispneia, ansiedade, depressão, aflição, etc”.

Conheça alguns pontos importantes nos quais a estética paliativa pode atuar.

Reduz o estresse emocional.

Antes de chegar até você, o paciente já terá enfrentado uma série de lutos: sonhos que ele não irá realizar, limitações físicas, ser visto de forma diferente pelas pessoas amadas. A redução do estresse emocional é essencial nesse ponto. A estética paliativa trabalha a aparência física e a saúde de forma conjunta.

Tratamentos como a quimioterapia, por exemplo, causam ressecamento extremo, que além de mudar a aparência da pele também podem gerar sensibilidade. A estética paliativa pode nutrir a pele, diminuir a sensibilidade e realizar uma massagem relaxante ao mesmo tempo. O diálogo com o paciente é bem-visto, considerado saudável e deve ser realizado com compaixão.

Diminui a dor.

A dor não causa apenas sofrimento físico, mas também limita e causa tristeza. A pele, por ser um órgão externo de proteção do corpo, é um dos primeiros que sofre os efeitos colaterais ou as alterações da doença. A estética paliativa oferece hidrata e recupera a pele, podendo inclusive realizar uma drenagem linfática. Esses atendimentos reduzem a dor e o desconforto do organismo.

Eleva a autoestima.

Criança em tratamento oncológico.

Elevar a autoestima é um dos pontos principais da estética paliativa.

Se uma mudança da aparência física pode causar um choque nos familiares, imagine no próprio paciente. Ter a pele extremamente ressecada, queda de cabelos e manchas na pele de repente não é fácil para ninguém. O paciente ainda fica privado de utilizar os cosméticos comuns que costumava utilizar, como maquiagens, pois podem causar reações alérgicas.

A estética paliativa tem papel importantíssimo na autoestima do paciente. Possuir uma pele hidratada e saudável, assim como poder utilizar a roupa que gostaria pode ser fundamental para o dia a dia do paciente. A chave é se sentir bem consigo mesmo.

Proporciona qualidade de vida.

Todos os pontos anteriores reunidos transformam a vida de uma pessoa sensível e que ainda tem vida para viver. A estética paliativa engloba tudo isso: a saúde física, a autoestima e a saúde emocional. A qualidade de vida é uma consequência destas conquistas.

Linha Reviver: cosméticos para estética paliativa.

Pacientes que estão em cuidados paliativos não podem utilizar cosméticos comuns, ou seja, com substâncias tóxicas. Estas substâncias, como parabenos, óleo mineral e liberadores de formol, já fazem mal para pessoas completamente saudáveis, e devem ser totalmente descartadas no caso de um organismo sensibilizado. É importante grifar também o caso do antioxidante BHT, que apesar de não fazer mal para outras pessoas, é contraindicado para pacientes oncológicos.

Segundo Vanessa, a presença de cosméticos ideias para esse tipo de atendimento no mercado é essencial. “Os pacientes sofrem de muitos efeitos colaterais na pele, tanto durante o tratamento quanto com a evolução da doença. É comum haver ressecamento, xerose, hipercromias, entre outros. E a queixa é grande. Ter cosméticos específicos, com ativos biocompatíveis de uma empresa que seja comprometida com a saúde dos pacientes é excelente. Auxilia muito em todo reparo tecidual, uma queixa constante dos pacientes que até influencia no impacto de dor social e qualidade de vida”, relata a esteticista.

Com esse foco, a Buona Vita lançou a linha Reviver, em parceria com a especialista em estética cosmetologia Isabel Piatti. Com versões home care e profissional, todos os produtos são 100% livres de xenobióticos, e voltados para a estética paliativa, proporcionando hidratação intensa, bem-estar, alívio e proteção.

Reviver PRO.

Produtos para atendimento de estética paliativa em cabine.

Quando a Buona Vita criou a linha Reviver, percebeu que os profissionais de estética careciam de cosméticos seguros para aplicar em pacientes oncológicos. Assim nasceram o Reviver Paliar Creme Reparador e o Reviver Paliar Flan Reparador. Ambos apresentam um ótimo deslizamento, ideal para o profissional realizar massagens terapêuticas, relaxantes ou drenagem linfática.

Com óleo vegetal, deixam a pele com sensorial aveludado, conservando a hidratação natural da pele. Recuperam a barreira cutânea e diminuem a sensibilidade da pele danificada, reduzindo a dor e o desconforto.

Reviver CARE.

O kit care da linha Reviver conta com quatro produtos para a recuperação de peles de pacientes oncológicos.

Os cosméticos home care da linha Reviver são para cuidados diários.

Assim como os produtos profissionais, a versão home care da Reviver é 100% livre de BHT, corantes ou fragrância. É composta por 4 produtos para as partes mais afetadas do corpo.

Creme Para Mãos.

Usamos as mãos para quase todas as tarefas do dia. Assim, é extremamente desconfortável quando estamos com ela sensível ou machucada. O Creme Para Mãos traz o conforto, a hidratação e a proteção, dando a sensação de luva natural.

Creme Para Pés.

Assim como as mãos, precisamos dos pés para boa para quase tudo. E eles precisam de uma atenção especial, pois normalmente ficam abafados dentro dos sapatos. Esse isolamento propicia a sensibilidade e inclusive o aparecimento de fungos e bactérias. O Creme para pés possui uma combinação mais encorpada de ativos, contendo ação bacteriostática. Proporciona alívio e refrescância com o Frescolat, um ativo refrescante com efeito semelhante ao Mentol, porém sem o seu potencial alergênico.

Loção Hidratante.

Não são apenas os pés e as mãos que sofrem com os efeitos colaterais da oncologia. O restante da pele também pode apresentar alterações, e é para essas partes que a Loção Hidratante é indicada. Contém ácido hialurônico e aquasense, dois ativos que permitem hidratação intensa e preenchimento cutâneo.

Loção Termal.

Essa é especial para peles muito sensibilizadas principalmente pela radioterapia, que danifica a pele pontualmente. Formulada em um spray, permite que o paciente aplique o produto e busque a hidratação sem tocar a pele. Possibilita alívio e sensação macia e sedosa. Por ser de rápida absorção, dispensa a necessidade de espalhar com as mãos.

O futuro da saúde estética.

O futuro da saúde estética é a estética paliativa.

O que esperar do futuro da saúde estética?

A saúde estética está se renovando a cada dia, e a estética paliativa é a prova disso. O bem que o atendimento profissional pode fazer para a qualidade de vida não pode mais ser ignorado. Estudos mostram que o toque pode fazer liberar neurotransmissores como a endorfina e a serotonina, que agem diretamente nas emoções, felicidade e bem-estar.

Vanessa reflete sobre o futuro da saúde estética: “A população, infelizmente, está adoecendo. O número é estrondoso. As pessoas estão cada vez mais carentes de toque humano e acolhimento diante de tanta parafernália tecnológica. Para aqueles que sentem que esse é o seu dom, com certeza terão um futuro promissor”.

Ela continua: “Hoje, quase tudo é substituído por máquinas, mas com o calor humano é diferente. Quem, no seu leito, não gostaria de receber um toque? Quem, em um momento difícil da vida, não gostaria de encontrar alguém com conhecimento e comprometimento para paliar sua dor? Quem nunca teve uma dor de cabeça ou no corpo, e de repente com um toque, uma massagem, sarou absolutamente tudo? Esse é o caminho!

 

Escrever Comentário