Dermocosmético ou cosmético: entenda a diferença de uma vez por todas.

16/12/2019

Qual a diferença entre dermocosméticos e cosméticos?

Afinal, qual é a diferença entre cosméticos e dermocosméticos?

Será que aquele creme que você usa todos os dias para hidratar a pele é um cosmético? Ou um dermocosmético? Afinal, qual é a diferença de um para o outro mesmo?

Essa discussão está longe de ser novidade, e já está na hora de você saber o que é um cosmético e o que é um dermocosmético.

Entenda agora a diferença de cada um. 

 

O que é um cosmético?

 

O que é um cosmético?

O que define um cosmético?                                                                                                                                                           

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Afinal de contas, o cosmético está sempre relacionado a beleza? Não necessariamente. Por exemplo, a pasta de dente também é considerada um cosmético. Ou seja, cosméticos podem estar relacionados também com a higiene pessoal. Então, como podemos definir?

Um cosmético age nas primeiras camadas da pele, causando mudanças temporárias, como uma breve limpeza ou uma maquiagem. 

Ou seja, quando usamos maquiagem, sabemos que vamos remover antes de dormir e a nossa pele estará como antes. 

Cosméticos estão presentes na vida da maioria das pessoas, e usamos muitos deles durante o dia a dia. Faça a conta, quantos você usou hoje?

Pasta de dente, shampoo, condicionador, maquiagens, creme para cabelo, sabonete, perfume, antisséptico bucal, esmalte e outros.

Esses tipos de cosméticos são classificados pela ANVISA como grau 1.

 

O que é um dermocosmético?

 

Dermocosméticos e suas características.

Entenda os dermocosméticos e suas características.

Classificado pela ANVISA como grau 2, o que diferencia o dermocosmético do cosmético são principalmente os ativos farmacológico.

O dermocosmético é principalmente indicado para tratamento da pele, mas podem ser encontrados ativos para tratamento da gordura localizada, celulite, estrias, dermatites, acne inflamada, entre outras alterações inestéticas. 

Alguns dos ativos farmacológicos mais encontrados em dermocosméticos são ácido hialurônico, vitamina C, trietanolamina, nicotinato de metila, ácido salicílico e outros

Aposto que você conhece alguns dos ativos citados. 

Diferente do cosmético, para que um dermocosmético seja liberado para consumo, é necessário a realização de pesquisas e testes de eficácia com comprovação científica. 

Para aprimorar ainda mais a efetividade dos ativos, alguns aprimoramentos tecnológicos podem ser feitos. Um exemplo é utilizar a nanotecnologia, que permite uma maior absorção de ativos pela pele e, por consequência, eleva a efetividade do tratamento. 

Outra característica marcante do dermocosmético é a sua associação com equipamentos de saúde estética. 

Alguns dos equipamentos mais associados com dermocosméticos são de eletrolipólise, iontoforese, alta frequência (após a aplicação do aparelho), radiofrequência e ultrassom.  

 

Por que a Buona Vita tem dermocosméticos científicos?

 

Um dermocosmético já necessita de comprovação científica, então por que a Buona Vita possui dermocosméticos científicos?

A Buona Vita possui um centro de estudos próprio, o CIA, localizado em Curitiba. 

É nesse centro de estudos que são realizados as pesquisas, tratamentos, estudos e atendimentos. Todas as informações captadas durantes estes procedimentos são armazenadas em um banco de dados, e serão utilizadas para o desenvolvimento de novos dermocosméticos e para buscar novas soluções para a saúde estética. 

Todos os dermocosméticos da Buona Vita passam pelo CIA, onde participam de estudos científicos e testes. Assim, cada produto da Buona Vita tem a ciência como principal alicerce.

Esse texto ajudou a acabar com a sua dúvida? Agora, que tal entender um pouco mais sobre bases verdes biocompatíveis?

Escrever Comentário