Efeitos da menopausa na pele: como manter a beleza em dia

10/02/2020

Quais são os efeitos da menopausa na pele

Se existe uma coisa que todas as mulheres temem são os efeitos da menopausa. Essa fase pode trazer uma série de mudanças hormonais, que refletem em mudanças na pele, no corpo e na vida da mulher. 

Quais são os efeitos da menopausa?

A menopausa é uma fase em que a mulher deixa de menstruar. Costuma acontecer entre 45 e 55 anos de idade. Representa o marco do final da vida reprodutiva da mulher. Mas não apenas isso. 

A menopausa pode mudar a vida da mulher, fisicamente e emocionalmente. E a pele também sente o impacto. 

Durante a menopausa, acontecem uma série de alterações hormonais. Os níveis de estrogênio são reduzidos. Entre outras coisas, esse hormônio tem o papel de impulsionar a produção de colágeno e elastina, importantes para a beleza da pele. 

Esses são os principais efeitos da menopausa na pele. 

Flacidez de pele

Com a redução da produção de estrogênio, e consequentemente do colágeno e elastina, é compreensível que a flacidez seja um dos efeitos da menopausa.

A produção natural de colágeno e elastina é reduzida em torno de 30% após a menopausa. Mas o que são colágeno e elastina?

São proteínas que, trabalhando juntas, evitam que a pele se torne flácida e com rugas. Quando sua produção é reduzida, é comum o aparecimento de linhas de expressão e rugas, principalmente no rosto. Porém, a pele do restante do corpo pode se tornar flácida também, em regiões como braços, pernas e pescoço.

Pele mais seca

Outra característica da pele que costuma sofrer mudanças durante a menopausa é a ação das glândulas sebáceas

Responsáveis por produzir o sebo e a oleosidade da pele, as glândulas sebáceas trabalham a menos. Desse jeito, a pele possui dificuldade em manter a aparência hidratada, se tornando ressecada e mais quebradiça.

A pele seca e a menopausa.

Manchas

As células que produzem a melanina, responsável pela coloração da pele, também ficam um pouquinho confusos com a chegada da menopausa. Essas células chamadas de melanócitos são distribuídas de forma irregular pela pele. 

Assim, é possível que você note o aparecimento de manchas na pele, que antes não estavam ali.

Como posso combater os efeitos da menopausa na pele?

Linha Supreme, dermocosméticos para peles maduras.

A pergunta que não quer calar: afinal, tem como evitar essas alterações na pele?

Existe sim formas de você reduzir os efeitos da menopausa, através de dermocosméticos com os ativos corretos. 

Ativos biomiméticos

Você sabe o que são ativos biomiméticos? O nosso corpo produz uma série de substâncias sozinho. Porém, com o passar do tempo, essa produção pode ser reduzida. Ativos biomiméticos são aqueles que imitam essas substâncias já presentes em nosso corpo, dando um impulsionamento em sua produção. 

Para quem está na menopausa, ativos biomiméticos podem ser uma ótima ideia, por que é uma fase em que o corpo reduz a produção de uma série de substâncias. 

Alguns ativos que são biomiméticos.

Vederine

Também chamado de Vitamina D Like (como vitamina D, traduzindo literalmente), o Vederine atua restaurando as funções dos receptores da vitamina D. Essa vitamina é muito importante para a pele, reduzindo rugas e linhas de expressão. 

Ainda acelera a recuperação da barreira cutânea, reestruturando a pele.

Plantec Olive Active HP

Ativo antioxidante, auxilia no combate dos radicais livres, evitando o envelhecimento excessivo da pele. 

Aumenta a hidratação e a suavidade da pele, e trabalha na recuperação da barreira cutânea.

Trehalose

Este sacarídeo está presente em uma série de plantas e animais. O ativo Trehalose, em plantas, permite que plantas sobrevivam em situações desérticas, e “voltem à vida” depois de receber um pouco de água. 

É isso que o ativo faz com a pele: repõe a água do tecido, auxiliando na hidratação e na beleza.

Ativos não biomiméticos

Além das substâncias produzidas pelo nosso organismo, nós também buscamos substâncias externas que precisamos para o bom funcionamento do corpo. Com a pele, é a mesma coisa. 

Alguns ativos que podemos buscar para evitar os efeitos da menopausa.

Colágeno hidrolisado

Como já falamos, o colágeno é de extrema importância para a beleza da pele, e precisamos buscar em outras fontes, como em dermocosméticos. 

O colágeno é uma proteína estrutural da pele, e promove resistência e elasticidade do tecido cutâneo.

Revinage

Este ativo promove a mesma ação da vitamina A na pele. Pode ser utilizado para clareamento de manchas, para estimular a renovação celular, para minimizar rugas, melhorar a textura e a firmeza da pele. 

Minerais

Além de todos os ativos citados, você pode também procurar dermocosméticos com minerais, que podem auxiliar na beleza e na saúde da pele. 

Busque por sódio, que ajuda na distribuição de água pelas células, e por zinco, que ajuda na função seborreguladora e possui propriedades antissépticas, o que confere ação anti-inflamatória. 

Gostou desse texto? Você já conhecia os ativos? Deixe nos comentários o que acha deles. 

3 formas de usar fatores de crescimento em tratamentos estéticos

03/02/2020

Como utilizar fatores de crescimento na estética

Os fatores de crescimento são cada vez mais utilizados em produtos de beleza que buscam a melhoria da pele. Você com certeza já  deve ter ouvido falar nessas palavrinhas que conseguem fazer milagre na estética.

Se você é estudante, profissional de estética ou até mesmo alguém que está buscando por tratamentos eficientes para beleza da pele, você precisa entender sobre as melhores formas de utilizar esses ativos tão importantes para a saúde estética.

O que são os fatores de crescimento?

Ainda entre muitas pessoas, fica a dúvida: afinal, o que são esses tais fatores de crescimento?

Fatores de crescimento são moléculas de proteínas, produzidas naturalmente pelo nosso organismo. 

Além disso, podem ser adicionados como ativos em dermocosméticos, buscando resultados como rejuvenescimento ou clareamento. 

Esses elementos possuem a capacidade de se unirem à membranas celulares, proporcionando ação cicatrizante e reparadora na pele. Ou seja, mantém a beleza e a saúde da pele em dia, oferecendo proteção e fazendo a sua manutenção. 

Por isso que, além da estética, fatores de crescimento também podem ser utilizados na área médica, na recuperação de cirurgias por exemplo. 

3 formas de utilizar fatores de crescimento em tratamentos estéticos

Esses ativos podem ser muito úteis e trazer resultados incríveis para a saúde estética. 

Mas para conquistar os melhores resultados, antes você precisa saber como utilizar esses ativos tão requisitados. 

 

Dermocosméticos com fatores de crescimento

Dermocosméticos para tratamentos estéticos

“Mas só com dermocosméticos eu consigo resultados significantes?”

Sim. Os fatores de crescimento podem ser adicionados em produtos para a sua pele, e se aplicados da forma e na frequência correta, os resultados são muito satisfatórios. 

Com quais objetivos eu posso utilizar dermocosméticos com fatores de crescimento?

Rejuvenescimento

Cicatrização

Clareamento

Antes e depois de tratamento com fatores de crescimento

Como você pode ver acima, em 3 meses de tratamento em cabine, há uma redução significante de linhas de expressão, utilizando apenas dermocosméticos. 

 

Fatores de crescimento e LED

Se você quiser potencializar os efeitos dos fatores de crescimento, a fototerapia é uma ótima escolha.  

A fototerapia é um método terapêutico que utiliza banhos de luz para buscar resultados estéticos ou de reabilitação. Assim, usa luzes de LED e infravermelho diretamente na pele, com a associação ou não de dermocosméticos. 

É interessante a utilização dos LEDs vermelho e azul, sem esquecer do infravermelho, associando com ativos cosméticos. 

Confira os objetivados de cada um deles.

LED vermelho

Oferece efeito bioestimulante e regenerador, com ação anti-inflamatória. Potencializa a produção de colágeno e de elastina, combatendo linhas de expressão. 

LED azul

Promove ação bactericida, oxigenante e cicatrizante. Pode ser utilizado em tratamentos de clareamento, oleosidade da pele e de hidratação.

Infravermelho

O infravermelho pode ser utilizado para potencializar a penetração do ativo do dermocosmético na pele. Provoca uma agressão ao colágeno, que precisa se realinhar. Assim, aumenta a produção do colágeno na pele. 

Para esses objetivos, o infravermelho pode ser programado entre 800 e 1.350nm.

LED e fatores de crescimento

Acima, vemos o resultado de 3 meses de um tratamento em cabine, utilizando LED, infravermelho e dermocosméticos com fatores de crescimento.

Linha de fatores de crescimento da Buona Vita

 

Microagulhamento com fatores de crescimento

Microagulhamento.

É muito difícil você nunca ter ouvido falar em microagulhamento. Nos últimos anos, é a técnica que vem chamando mais a atenção. 

O microagulhamento é uma técnica que utiliza agulhas muito pequenas para realizar microfissuras na pele. Isso possibilita utilizar o microagulhamento com dois objetivos: drug delivery e estimulante do colágeno.

Drug delivery

Se você buscar a tradução de drug delivery, provavelmente encontraria algo como “entrega de drogas”, o que não está errado. As microfissuras causadas pela técnica permitem que os ativos presentes nos dermocosméticos cheguem até camadas mais profundas da derme. 

Dessa forma, o tratamento é mais eficaz e traz resultados mais rápidos.

Estimulante de colágeno

O microagulhamento, por si só, já é capaz de estimular a produção de colágeno na pele. Ao produzir as microfissuras, a pele é obrigada a se regenerar. Nesse processo o colágeno precisa estar presente, resultando em um processo de rejuvenescimento.

Esse texto foi útil para você? Deixe nos comentários a sua forma predileta de aplicar os fatores de crescimento em seus tratamentos.

7 efeitos do estresse e cortisol na sua pele

27/01/2020

Efeitos do estresse e cortisol na pele.

O estresse e o cortisol podem ter efeitos negativos em sua pele.

– “Tudo bem?”

– “Mais ou menos. Ando meio estressado”.

Atire a primeira pedra quem nunca ouviu ou falou algo do tipo. 

O estresse está se tornando cada dia mais comum, e todos já vivenciamos algumas situações de estresse. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o estresse está entre os maiores problemas da saúde pública, e afeta cerca de 90% da população mundial. 

Em situações de estresse, o nosso organismo libera um hormônio, chamado cortisol. Esse hormônio é produzido de forma natural, porém em excesso pode causar alterações na pele.

 

Conheça 7 efeitos do estresse e cortisol na pele

O que o estresse faz com a pele

O estresse por si só pode provocar efeitos indesejáveis no corpo. Porém, quanto mais estresse, mais cortisol. E o hormônio também tem sua parcela de culpa no aparecimento de algumas alterações. 

Olheiras

Além do estresse, outros distúrbios psicológicos estão cada vez mais comuns na sociedade, como a insônia e a ansiedade. Esses distúrbios podem ser somados ou até mesmo relacionados um ao outro. O fato é que, quem está sobre constante estresse costuma ter dificuldades para dormir. 

O organismo precisa de 8 horas de sono para que se mantenha saudável, e com a pele não é diferente. Sem esse sono de beleza, é mais provável que apareçam olheiras profundas, denunciando o cansaço do corpo.

Envelhecimento de pele

O excesso de estresse aumenta a atividade de radicais livres na pele. Desse jeito, o efeito oxidativo entra em ação, facilitando a flacidez, rugas e linhas de expressão.

Acne e pele oleosa

Até mesmo as espinhas dão as caras quando você anda muito estressado. O cortisol e o estresse fazem com que as glândulas sebáceas trabalhem mais. Assim, a pele fica oleosa, brilhosa e com espinhas. 

Nesse caso, o melhor a se fazer é não espremer as espinhas, para evitar o agravamento da lesão ou que ela se torne uma cicatriz permanente. 

Herpes

A herpes é um vírus transmissível que pode ficar em silêncio por muitos anos. Segundo a Abril Saúde, estima-se que cerca de 90% da população tenha o vírus, mas ele apenas se manifesta em torno de 15% da população, devido ao sistema imunológico enfraquecido. 

Em épocas de muito estresse, como em provas da faculdade, pressão no trabalho ou problemas familiares, a imunidade abre uma brecha e a doença aflora. 

A herpes não é fatal em adultos, porém o paciente sempre deve tomar cuidado com o contágio, principalmente próximo de crianças. 

Dermatites e psoríase

Outras doenças de pele diretamente afetadas pelo estresse são as dermatites e a psoríase. Principalmente a dermatite seborreica, que aparece no rosto e no couro cabeludo, pode desencadear crises fortes. 

A dermatite seborreica e a psoríase não são fatais, e na verdade não oferecem nenhum risco à vida, porém provocam muita vergonha, que apenas gera mais estresse, piorando os casos. 

Urticária

Estresse pode causar urticária.

Em uma situação de estresse, você já teve uma sensação de coceira percorrendo o corpo? Essa é a urticária.

Com bolinhas vermelhas e podendo afetar áreas variadas do corpo, costuma ser desencadeada por estresse, temperaturas elevadas, picadas de inseto e outros fatores. 

Vitiligo

Vitiligo é uma doença genética, porém pode permanecer em silêncio por anos. É autoimune, ou seja, o organismo ataca as próprias células que produzem melanina e dão a cor à nossa pele. 

O vitiligo acontece em pessoas com pré-disposição genética, e pode ser desencadeado após um período de estresse intenso. 

Como evitar o estresse?

É quase impossível evitar momentos de estresse hoje em dia. Em algum momento, é provável que aconteça com qualquer um de nós. 

O que podemos fazer é tentar evitar o estresse intenso, e para isso, buscar adotar algumas atitudes. Lembrando que o estresse tem efeitos na pele, mas também efeitos na saúde, na autoestima e na qualidade de vida. 

Veja como você pode reduzir o estresse no seu dia a dia.

Durma bem

O cansaço e a insônia acabam com o dia de qualquer um. Por isso, sempre reserve aquelas horas preciosas para recuperar as energias. Desligue a televisão, deixe o celular bem longe da cama e, sem distrações, procure dormir por ao menos 8 horas por noite

Pratique exercícios físicos

Exercícios físicos e estresse

“Preciso me tornar um atleta para evitar o estresse?”. Não. 

Não precisa nem ter uma rotina fitness. Apenas praticar exercícios físicos com alguma frequência. Mas exercícios físicos fazem muito bem para o corpo e para o seu estado de espírito. 

Ao praticar uma atividade física, o corpo libera endorfina, o hormônio que provoca sensação de bem-estar. Assim, o nível de cortisol é reduzido.

Beba chás naturais

Você é uma criança e está de cama. Qual é a primeira coisa que sua mãe fala? “Vou fazer um chá”.

Mas os chás não servem apenas para curar resfriados e dores de garganta. Tomar os chás corretos podem auxiliar a reduzir o estresse. Experimente algum desses abaixo:

Camomila

Folha de maracujá

Capim-limão

Hortelã

Melissa

Organize-se

Essa dica é principalmente para quem sofre com a pressão do trabalho, nos estudos ou mesmo em casa, quando há muitas tarefas para fazer. 

Procure se organizar. Defina quais são as prioridades e comece daí. Fazendo uma coisa de cada vez, fica mais fácil saber qual é o próximo passo.

Faça terapia

Existem inúmeros benefícios de fazer terapia, e segundo os especialistas no assunto, todas as pessoas deveriam fazer. Portanto, um dos principais benefícios é que terapia ajuda a resolver problemas como o estresse e a ansiedade. Um profissional saberá exatamente como lidar com a sua situação. 

Faça meditação

Meditação contra o estresse.

A meditação é realizada em um local seguro e tranquilo, sem intervenções. Existem várias posições que você pode fazer meditação. A mais comum é sentado com as pernas cruzadas. 

O ideal é fechar os olhos, respirar pelo nariz e prestar atenção nessa ação. Essa prática amada por tantas pessoas tem o objetivo de “limpar” a mente, e deixar para fora todo o barulho e o estresse. 

Faça uma massagem relaxante

A massagem relaxante feita por um profissional traz benefícios físicos e mentais. Esse momento é apenas para você aproveitar e relaxar. Veja o que uma massagem relaxante pode fazer por você.

Alívio de dores musculares

Redução do cansaço

Melhoramento da circulação sanguínea

Redução da pressão arterial

Diminuição do estresse e da ansiedade, entre outros. 

Descubra a origem de seu estresse

De onde vem tanto estresse? Se você ainda não sabe, preste atenção no seu dia a dia. Você ficar estressado por causa do trabalho? São as provas da faculdade? É o relacionamento? Pode até ser uma parcela de cada uma dessas coisas.

Ao identificar de onde vem o estresse, fica mais fácil definir como resolver o problema.

 

Gostou desse texto sobre os efeitos do estresse na pele? Confira também o nosso e-book exclusivo e gratuito: o Guia Definitivo do Peeling. 

Ebook sobre Guia do Peeling